#LIGAGAUCHA2020 - O desafio de manter viva a essência do jogo é o tema do Workshop Solidário



 

 



O desafio de manter viva a essência do jogo é o tema do Workshop Solidário

O desafio de manter viva a essência do jogo é o tema do Workshop Solidário

Manter o jogo com aquele espírito criativo, de cooperação e também de competitividade sadia, vivo é o grande desafio de quem se dedica à formação de meninos e meninas desde a infância no futsal. O paranaense Wilton Santana é um deles. Dedica-se a desvendar e difundir a pedagogia do esporte, aplicada ao futsal, há pelo menos 30 anos. Autor de cinco livros sobre o tema, ele já foi jogador, treinador de categorias de base e de profissionais, e chegou até mesmo à Seleção Brasileira de Futsal, como auxiliar do técnico Marquinhos Xavier. Pois ele é o convidado da quinta edição o Workshop Futsal Solidário, às 19h desta quarta, em evento online exclusivo para os filiados da Liga Gaúcha SICOOB de Futsal.

Com o tema "Questões pedagógicas no futsal de base", Wilton vai bater um papo com os profissionais dedicados ao trabalho com os pequenos nos nossos clubes. E esta, como ele mesmo define, não é uma tarefa fácil. 

"Eu e todas as gerações anteriores à minha tivemos o primeiro contato, o aprendizado inicial do futebol na rua. E a rua pressupõe, o campinho de terra, o asfalto, o quintal, a bola como um brinquedo e o jogo, como se chama na pedagogia, deliberado. Isso já não existe. Desde muito precoces as crianças têm contato com o futebol ou o futsal nos clubes, em escolinhas, com um professor, que necessariamente organizam o trabalho sistematicamente. O desafio é manter, nestas estruturas, ingredientes lúdicos, do jogo deliberado. A boa pedagogia para o ensino do futebol e do futsal é aquela que mantém os elementos do ambiente de jogo", diz.

PARCERIA ENTRE O FUTSAL E O COOPERATIVISMO NA PAUTA DO WORKSHOP SOLIDÁRIO

BILLY, DO BR FUTSAL, É O CONVIDADO DO WORKSHOP SOLIDÁRIO DESTA SEMANA

GESTÃO É O TEMA DA SEGUNDA EDIÇÃO DO WORKSHOP SOLIDÁRIO

WORKSHOP FUTSAL SOLIDÁRIO: OPORTUNIDADES PARA EVOLUÇÃO

Em se tratando de futsal, não é tentar reviver o passado, mas encontrar um lugar mais nobre, e também lucrativo, na relação com o futebol, por exemplo. 

"E se os clubes de futsal passarem a ser vistos, formalmente, como formadores, que sempre foram na prática? Isso precisa ser discutido", avalia Santana.

A lista de craques que deram seus primeiros passos nas quadras e foram brilhar nos campos é gigantesca. Mas raramente se ouve falar sobre qual clube de futsal, ou mesmo escolinha, marcou o início dessas carreiras.

"O futsal e o futebol são esporte que, culturalmente, sempre se misturaram na formação. E, historicamente, o futebol sempre se beneficiou dessa relação. Alguns clubes já perceberam a importância dos fundamentos e da criatividade que o futsal ajuda a desenvolver, e estão sistematizando essa relação. É evidente que nem todos os atletas vão sair do futsal para o futebol, mas não seria justo que um clube de futsal recebesse, por exemplo, investimento, com profissionais sendo qualificados, como um clube formador? O caminho futuro não é o afastamento entre os dois esportes, mas a compreensão dos papéis de cada um", comenta.

Wilton Santana será o quinto convidado do evento promovido pela Liga e que está se consolidando como uma importante ferramenta de qualificação para o futsal gaúcho. Nas edições anteriores, foram debatidos a assessoria de imprensa no futsal, a gestão dos clubes, a importância das redes sociais e, na última semana, a relação entre o cooperativismo e o futsal do Rio Grande do Sul, com a participação dos gestores do SICOOB no Estado.




Liga Gaúcha de Futsal

E-mail: contato@ligagaucha.com.br

Documentos